Conselho de Clubes define divisão igual de dinheiro aos clubes da Série B 2018, confira os resultados da 6ª rodada.

21/05/2018 - 09:05

A divisão do dinheiro pela participação no Brasileiro da Série B-2018 foi o assunto que provocou discussões mais acaloradas entre os presidentes de 18 dos 20 clubes participantes do Conselho Técnico. Muito mais do que a tabela do campeonato, que começará na sexta-feira 13 de abril.

Houve duas rodadas de conversas. A primeira, na manhã desta terça, mais informal, num hotel da Zona Oeste, onde não houve unanimidade. Assim, o tema foi levado à votação do Conselho de Clubes, à tarde, na sede da CBF, onde a proposta pela divisão igualitária venceu por 10 votos a 8 a que queria a manutenção da divisão por meritocracia, ou seja, pelo ranking de clubes.

América-MG foi o campeão da Série B no ano passado (Foto: Luiz Martini)América-MG foi o campeão da Série B no ano passado (Foto: Luiz Martini)

 América-MG foi o campeão da Série B no ano passado (Foto: Luiz Martini)

Sem a interferência do Coritiba (rebaixado da Série A em 2017) e do Goiás, que têm contratos próprios de TV (R$ 35 milhões e R$ 26,25 milhões, respectivamente), os outros 18 clubes puseram em votação as duas propostas. A divisão igualitária venceu, e cada time levará R$ 6.030.000 pela participação, um total de R$ 108.540.000. A maior perda foi a do Avaí, que arrecadará R$ 1.370.000 menos do que se fosse mantido o critério do ano passado.

- O Avaí, como primeiro do ranking, receberia sete milhões e quatrocentos mil reais, se fosse mantida a meritocracia. Agora, levaremos seis milhões e trinta mil reais pela participação. Teremos que refazer nossas contas – lamentou o presidente do clube, Francisco Battistotti.

Arquirriival catarinense do Avaí, o presidente do Figueirense, Claudio Vernalha, votou pela divisão igual do dinheiro pelos 18 clubes que não têm contratos como os do Coritiba e do Goiás. Ele defendeu a divisão desta maneira como mais justa para a situação dos clubes da Série B. Os nove que acompanharam o Figueirense foram Vila Nova (GO), CRB, CSA, Paysandu, São Bento, Guarani, Fortaleza, Criciúma e Sampaio Corrêa. Os oito que votaram pela manutenção da divisão de dinheiro pelo ranking foram Avaí, Londrina, Oeste, Atlético Goianiense, Ponte Preta, Boa Esporte, Brasil e Juventude.

Compartilhe

Comentários

Notícias Relacionadas